Em En rachâchant está tudo posto, não há nada a revelar. O sistema dramatúrgico construído por Danièle Huillet e Jean-Marie Straub, espécie de anti-realismo automatizado, tem suas origens nos modelos de Robert Bresson, levado a um extremo radicalismo formal. Forma que separa o gesto de dizer da palavra corriqueira, naturalizada, desmontando todo regime de transparência. A fala é um ato performático que desvela seu próprio sentido de encenação. Não apenas o que se elabora argumentativmente no nível discursivo, os diálogos modulam o lugar da própria enunciação: fala dobrada do sistema pai-mãe, consensualidade afetiva; fala autoritária do mestre, posse permanente da palavra e autoridade etária e do saber; fala desinteressada do menino, mascar chiclete ou silenciar, desfuncionalização do regime escolar. Foi a respeito de construções cênicas como essa que Serge Daney caracterizou uma pedagogia strauberiana (eliminando a participação seminal de Danièle Huillet nessa pedagogia ao elaborar seu conceito). Se a disputa não se dá no nível dos enunciados, é preciso demarcar a zona na qual se produz a própria enunciação.

 

A elaboração do campo / contracampo numa série que vai desde a relação estudante / professor; passando por mãe-menino / professor; pai-mãe-menino / professor; para novamente finalizar na dualidade estudante / professor; faz variar de maneira espiralada a posição de cada um dos personagens. Mãe-rigorosa mãe-zelosa mãe-submissa; criança-insolente criança- imperiosa criança-frágil; pai-ausente pai-relapso pai-preocupado; professor-moralista professor-autoritário professor-desiludido. Cada palavra, cada ato de dizer, tem em si sua própria medida e deflagra o princípio inerente que recria o lugar da enunciação dos personagens. Eles não operam por causalidade ou se assumem em regimes de identificação arquetípicos. Como consequência, ao criar interações baseadas em um princípio de alternância, cada presença complexifica o jogo entre ambas as partes, revelando uma série de afetos polivalentes, que não se deixam subsumir uns nos outros. Não se trata, por exemplo, da produção de uma fórmula binária entre o que seria a impetuosidade do jovem estudante e sua inadequação ao duro mundo escolar: perante a deflagração de novos enunciados e atos performáticos, são os próprios pais e o professor que se veem interpelados em seus lugares de enunciação estabelecidos, alterando-se diante da insustentabilidade da forma de pensamento que planeja fundar a discussão e o modelo ao qual Ernesto esforça-se para se desenquadrar.

<– voltar para a mesa de montagem